GPC´s – Gestão Participativa em Condomínios Residenciais, Empresariais e Comerciais

A economia mundial vive hoje o momento de concorrência mais acirrada que já existiu em todos os tempos. Para sobreviverem neste cenário, os condomínios começam a adotar um rigoroso padrão de excelência e passaram a exigir resultados cada vez mais positivos exigindo assim um SÍNDICO PROFISSIONAL com qualificações como: Gestão Administrativa, Financeira, Contábil, Recursos Humanos, Mediação de Conflitos etc.

A “Gestão Participativa” busca criar estruturas descentralizadas, em que se faz necessário à sua sobrevivência, onde o relacionamento cooperativo passa a ser uma ferramenta essencial para superar os conflitos internos nos processos produtivos e as mudanças nas relações do trabalho.

A consciência individual e coletiva exige de seus gestores (Síndico Profissional e Conselheiros) uma visão de globalidade, isto é, saber o que sua tarefa significa na totalidade organizacional.

A participação dos condôminos nas decisões, em maior ou menor escala que seja, vem sendo uma constante em uma série de modelos de gestão. Nos últimos tempos, porém, um conjunto de tendências paralelas tem fortalecido a adoção do modelo da Gestão Participativa.

A democratização das relações sociais, o desenvolvimento de uma classe trabalhista, a elevação do nível educacional, a complexidade e a intensificação das comunicações são algumas das razões que justificam a adoção de um maior grau de envolvimento.

Pensando nisso, os condomínios em suas respectivas qualificações se iguala a uma empresa e deve ser administrada por um SÍNDICO PROFISSIONAL e seus Conselheiros devem apresentar também formações profissionais, buscando assim diariamente a Qualidade de Vida Coletiva, Valorização do Condomínio e Funcionários.

Fonte: SindFácil

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

Deixe uma resposta